sábado, 12 de janeiro de 2013

David Copperfield



A pedido de inúmeras famílias aqui vos deixo as impressões gerais que este grande livro me deixou.

David Copperfield é um jovem que nasce a uma sexta-feira. O seu pai havia morrido seis meses antes. A obra de Dickens relata-nos a vida deste Copperfield desde o seu nascimento até aos seus dias de gente adulta.
O jovem David conhece muitas contrariedades e sofrimento ao longo dos seus verdes anos. Foi, para mim, por vezes penoso partilhar deste infortúnio. Das vitórias que surgem de permeio vamos tendo as nossas compensações e agradáveis "vinganças".
Para sobreviver agarrava-se a uma criada que o amava como mãe e, claro está, aos livros que devorava no isolamento do seu quarto.
Ao longo desta grande e fantástica obra seguiremos de braço dado com David, Peggoty e outras personagens das quais nada direi para não tirar a ninguém o prazer que tive em conhecer algumas, a surpresa de outras e a enorme raiva (quase ódio) por mais algumas.
Como na vida, e porque sobre uma vida estamos a ler, encontramos em David Copperfield tudo aquilo que nos apimenta a existência. Amizade, companheirismo, amor, humor, inocência, tristeza, revolta, prazer, raiva, indignação, e claro... alguma dor.

Como David, Charles Dickens nasceu a uma sexta-feira. Como David, Charles teve de muito jovem trabalhar. Como David, Charles terá muito que contar sobre a sua própria vida. David Copperfield, afirmam alguns, foi um dos meios escolhidos para o efeito sendo este romance um livro extremamente auto-biográfico.

O balanço final é muito positivo. O da vida deste Dickens que se chama Copperfield, o leitor que tem o privilégio de através do segundo conhecer muito da história do primeiro retirando, pelo menos no meu caso, um enorme prazer ao longo da viagem.

Não posso afirmar, contudo, desejo de voltar a este autor tão cedo.
Não porque não tenha gostado mas precisamente porque adorei. Foi intenso e aprazível.
Oliver Twist poderá ser uma leitura na minha vida... mas mais tarde.

Sinopse e algo sobre o autor.

Bem hajam.

10 comentários:

Paula disse...

Olá André, eu já tenho um exemplar, não a tua edição, mas uma que consegui comprar em 2ª mão :P
Estou muito curiosa com este livro... não sei se ainda será este ano.

Mas o teu comentário fez-me lembrar "Servidão Humana" de Maugham...

André Nuno disse...

Paula,
de facto considero os livros similares.
São ambos fantásticos mas gosto mais do Copperfield.
Obrigado!

André Nuno disse...

Ah, e não tenho dúvidas de que irás adorar!
:)

CMachado disse...

Puxa "Grandes Esperanças" e "Retratos Londrinos" vc não poderia deixar de ler!!!
Abç ae e
boas leituras!!

Jojo disse...

Estou a ganhar coragem para ler este... É enorme! Gostei muito Dickens quando li Um Conto de Natal mas, este é um "bocadinho maior":p

André Nuno disse...

C Machado,
vou concerteza ver esses títulos que vc aconselha!
Muito obrigado!
Abraço e boas leituras!

Jojo,
tentei ler Um Conto de Natal mas não consegui. Na altura era mais novo. Estou convencido que o motivo foi esse.
Tenho a certeza que irás gostar do David Copperfield. Não permitas que o tamanho do livro te iniba, afinal só lês uma página de cada vez, independentemente do número de folhas! ;)
O livro é toda uma vida, tem o tamanho certo. Quando o leres irás concordar, certamente.
Obrigado!

Jojo disse...

André,
que belas palavras!:)
Não tenho medo de calhamaços em si, tenho receio de não lhes dedicar o tempo que merecem quando estou na faculdade. Só nas férias...

nuno chaves disse...

De Dickens, li precisamente Oliver Twist (que vai um pouco dar ao mesmo) a história do miserável rapazinho.
Li também Os contos "Um grilo na Lareira" e o sobejamente conhecido "Conto de Natal"
Sempre quis ler este livro... mas acho-o demasiado caro... por muito que vala pena. Irei esperar, pode ser que encontre assim um exemplar em 2ª mão como a Paula.
Gostei da tua opinião.
Um Abraço.

Paula disse...

Gostaste mais deste ai Servidão Humana... eu adorei Servidão Humana, será que vou gostar mais deste???
Ai!! O que estou a perder :P

André Nuno disse...

Nuno,
obrigado. Estou certo de que se não encontrares o livro... ele encontra-te!
Uma das coisas que gosto na Wook é que nos vai dando vales que podes acumular e descontar numa encomenda. Tenho 16 eur para gastar. Desta forma posso comprar um livro de borla ou adquirir uma bela obra por pouco dinheiro.
Abraço.

Paula,
gostei mais do Copperfield, sim.
Pode ser por uma questão de estilo ou mero gosto pessoal mas de facto acontece assim.
Penso que David Copperfield "tem mais luz".
Abraço!