sábado, 22 de setembro de 2012

Tempo




"Tempo — definição da angústia.
Pudesse ao menos eu agrilhoar-te
Ao coração pulsátil dum poema!
Era o devir eterno em harmonia.
Mas foges das vogais, como a frescura
Da tinta com que escrevo.
Fica apenas a tua negra sombra:
— O passado,
Amargura maior, fotografada.

Tempo...
E não haver nada,
Ninguém,
Uma alma penada
Que estrangule a ampulheta duma vez!

Que realize o crime e a perfeição
De cortar aquele fio movediço
De areia
Que nenhum tecelão
É capaz de tecer na sua teia!"

Miguel Torga, in 'Cântico do Homem'
Coimbra Editora, Lda.

1 comentário:

oscartheteacher disse...

Gostei do seu blog que procurei para ler sobre o livro "Servidão Humana" de W.Sommerset Maugham e, tanto gostei que indico-lhe e a seus leitores outro livro do mesmo autor que é tão ou melhor e chama-se "The Razor´s Edge" ou em português "O Fio da Navalha" que é uma lição sobre amor, desapego, valores tradicionais, mercado financeiro, religião, fé e superação. Tudo em um único romance que parece mais atual agora!