quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Sunrise



Olá a todos.
Após quase seis meses de "coma cerebral auto-infligido" através do qual recuperei uma sanidade mental que me sentia estar a fugir, eis que me encontro de volta.

A todos os que em vão persistiram nas visitas ao blogue as minhas desculpas e o meu agradecimento.

Por estes dias voltei às habituais leituras. Continuo a saborear o paciente "Servidão Humana" e estou a gostar bastante. No final podem contar com a minha, como sempre, muito modesta e muito pessoal apreciação.

Depois do falecimento do meu avô, em Fevereiro, passei por uma fase profissional muito desgastante. Senti-me sem energias que não para as essenciais obrigações de existência.
Mantenho o emprego e este continua a ser um amargo excremento com o qual me unto com o meretrício propósito de ganhar o dinheiro indispensável à subsistência familiar.
Adquiri, todavia, capacidade de lidar com isso como "gente crescida".

Não posso garantir a mesma periodicidade de publicações que até este interlúdio vos habituei. Um dos aspectos que me fez necessitar de uma pausa também da leitura foi o cansaço da obrigação que sentia em devorar livros rapidamente para poder partilhar e discutir convosco a minha opinião. Foi um erro que me separou do prazer e até da imperiosa necessidade de ler que toda a vida senti.
Sempre li para viver mas estava a viver para ler e comentar.
Não voltarei a ler com sofreguidão descabida mas apenas com aquela que o ritmo e tempo próprios do livro me induzirem.

Prometo actualizar o blogue com regularidade e, se me concederem o direito de pedir o que quer que seja, gostaria de continuar a contar com as vossas opiniões, comentários, críticas.

Até já.

6 comentários:

Carla M. Soares disse...

Compreendo perfeitamente essa sensação de ler com mais pressa do que apetece, para chegar ao comentário. Ainda há pouco tomei a mesma decisão de ler sem me impor nenhum ritmo, nem de leitura nem de publicação, para poder apreciar o que vou lendo.

Bom regresso!

Offuscatio disse...

Fico mesmo contente que estejas de volta, independentemente de nos brindares com publicações regulares ou esporádicas, e principalmente que te sintas melhor. A vida às vezes prega-nos algumas rasteiras..Um abraço.

André Nuno disse...

Carla Soares,
obrigado! De facto é isso mesmo. Quando o prazer se transforma em obrigação acaba por se tornar insuportável.

Offuscatio,
muito obrigado pelas tuas palavras. É bom sentir-me pronto para regressar e voltar a sentir prazer em algo que faz parte de mim!
Abraço!

A partir de amanhã retomarei a merecida visita aos vossos blogues.

Abraços!

Paula disse...

Olá André, que bom que estás de volta :)
Entendo do que falas :)
Este ano ando a ler menos exactamente devido ao que falas "obrigação/prazer :) tenho lido menos, mas bons livros :)

Cristina Torrão disse...

Muitas vezes, é mesmo difícil saber onde acaba o prazer e começa a obrigação. Com a escrita é a mesma coisa.
Penso já ser conhecido que estou numa fase de incerteza, pois desiludi-me com a minha editora e ando à procura de outra. Ainda não a encontrei. Mas continuo a escrever e, por vezes, começo a sentir aquela obrigação de acabar o livro. Depois, pergunto-me: para quê? Porque me imponho esse stress? Não é melhor aproveitar esta altura, em que não tenho prazos a cumprir, para não estragar o prazer de ir escrevendo devagar, com todo o tempo do mundo?

Bem-vindo de volta e tome conta de si :)

André Nuno disse...

Cristina,
de facto a linha que as separa é bastante fina. :)
Espero que encontre uma editora que seja capaz de fazer justiça ao seu amor pela escrita e que saiba dar-lhe o devido valor.
Na minha opinião acho que deve escrever devagar... se for isso e não o stress que lhe dá a "pica". Por vezes também a obrigação se revela bastante aprazível! LOL
Obrigado pelas palavras. ;)